sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

A importância dos troféus na nossa vida e a geração triplo "nem"

Salve Galera!

Após alguns dias longe do blog por estar pegando firme nos estudos de RV, vamos hoje com um pouco de reflexão sobre a vida.


Uma das coisas que mais gosto de fazer é jogar videogame. É o meu principal hobby. Jogo desde pirralho. Tenho alguns sistemas mais antigos e um punhado de jogos.

Então no final de dezembro passado, nos dias de folga que tive, resolvi jogar em meu Dreamcast, uma vez que há muito tempo que não jogava e também porque ganhei um controle novo como presente de Natal dado pela minha mulher.

Este aqui senhores, em carne e osso.

Quando o Dreamcast era de última geração, isso lá em meados do ano 2000, eu almejava em ter um. O foda é que era caro para baralho, uns 700-800 cachorros ocultos à época, ou seja, não iria rolar nem de presente.

Os anos passaram e esse desejo ficou ali guardado para um outro dia que eu tivesse grana. Chegou o ano de 2007 e comecei a fazer estágio que me rendia um dinheiro razoável, só que no entanto, o meu paitrocínio de custos foi quase totalmente reduzido, pois "eu já estava trabalhando". Mesmo assim me sobrava uns caraminguás por mês.

Após o primeiro pagamento da grana do estágio este desejo veio com tudo, foda-se se o console já tinha saído de linha, foda-se se era antigo, foda-se se era pior que o recém lançado PS3. Após pesquisas no mercado livre descobri que o preço seria por volta de R$ 300.

Como não tinha a grana integral para comprá-lo, teria que economizar mensalmente. Dito e feito, após 9 meses de aportes em poupança e apertando mais o cinto, em novembro de 2007, consegui comprar.

Pensem na satisfação que tive após conseguir realizar esse sonho, acredito que nem tanto pelo aparelho em si, mas pelo fato de ter sido realizado pelos meus próprios meios, esforços e sacrifícios. Foi a primeira conquista que tive, digamos, "financeiramente" falando.

Digo que este console marcou a minha vida. É um dos "troféus/conquistas" mais importantes que possuo. Me fez criar a consciência de que planejamento, esforço e trabalho nos levam a realizar coisas extraordinárias. E sempre procuro lembrar não só dele, mas de outras conquistas, quando começo a achar que algo é impossível de se atingir.

Pois bem. A ideia deste post surgiu após eu ler a seguinte notícia nesse final de ano: Geração que não trabalha nem estuda aumenta em 2015.Acrescentaria também os que "nem procuram emprego".

Caralho, Senhores. Fico me perguntando: como alguém consegue não ter ambição nenhuma na vida? Não querer realizar nada? Não querer se aprimorar e ser uma pessoa melhor? Como é possível existir pessoas que não querem saber como é o gosto de uma vitória conquistada pelas próprias mãos?

Porra, a crise não é financeira. É MORAL e isso é muito pior!

O que me assusta é que essa legião de vagabundos está aumentando e que são esses que irão (ou não!) aportar na pirâmide financeira governamental obrigatória chamada Previdência Social.

Não temo por nós da blogosfera financeira, mas por outros que estão plugados na Matrix e são excelentes pessoas/profissionais, que contam com apenas isso para a aposentadoria. Haverá choro e ranger de dentes.

Vai faltar ventilador para tanta merda.

A mensagem que deixo para os Senhores neste post é: lembrem-se de seus troféus, saboreiem suas conquistas sempre e preparem-se para os dias de vacas magras que certamente virão.

Ao mesmo tempo, queria dizer que é uma honra participar da blogosfera de finanças e ler cada uma das histórias de superação e trabalho dos Senhores. Finalmente encontrei vida inteligente nesse país.



Bons investimentos a todos!

Desculpem o textão e os possíveis erros de português.

Abraço!

7 comentários:

  1. Olá Ligo,
    Parabéns pelo post.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Eae Ligo!
    Grande post cara, reflete muito bem a situação dessa nova geração.
    Conheço vários jovens que não tem ambição, ficam em casa sem a cobrança dos pais, pois atualmente vivemos o politicamente correto e os pais que no passado foram excessivos e truculentos hoje são moles. Molecada termina a escola e não sabe qual curso superior fará, isso quando pensam em fazer, pois a grande maioria está acomodada, sem estudar e trabalhar, vivendo as custas dos pais sem nenhuma preocupação ou perspectiva. Um absurdo mesmo, essa criançada ficou afetada e perdida.
    Vivemos também uma era de distrações, são muitas informações e os jovens não sabem aproveitar os benefícios da revolução da informação.
    Anyway, conheci agora seu blog e adicionei ao meu roll, se puder retribuir agradeço.
    No mais, sucesso parceiro!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com o Lorde das Moedas,

      A culpa é dos pais que não mostram que para crescer na vida é necessário sair da zona de conforto.

      Parabéns pela postagem Ligo, temos a mesma faixa etária, cursei engenharia, trabalho com TI e sou servidor publico que nem você.

      Adicionei vocês dois na minha blogroll, abraços.

      Excluir
    2. Grandes Lorde e Aportador! Obrigado pela visita!
      Já estão adicionados!

      De fato, a maior parte da culpa é dos pais, pois não exigem nada da mulecada e os protegem demais. Isso resulta em uma sociedade doente e mimizenta, que em qualquer dificuldade já desistem e saem reclamando da vida.


      Abraços!

      Excluir
  3. excelente post!

    também curto games.

    abç!

    ResponderExcluir
  4. Fala Ligo,
    Conquistas através do nosso trabalho é realmente um dos maiores prazeres do mundo, lembro do meu primeiro videogame que comprei/conquistei com meu trabalho em 2015, foi um ps4 que me acompanha até o presente momento, me trazendo alegria nos dias que apenas quero me desligar do mundo.

    A sociedade foi bestializada nos ultimos anos, com o desconstrutivismo de tudo que é bom, o temor é maior quando percebemos que desses dependentes da matrix, existem nossos entes queridos.

    Li uma frase que faz todo sentido para o momento que estamos vivendo que é algo assim "Hard times create strong men, strong men create good times, good times create weak men, weak men create hard times.

    ResponderExcluir